A terceira temporada de Stranger Things foi, sem dúvidas, a mais intensa da série, até o momento. A trama está tomando um rumo mais maduro e, com isto, abordando temas mais “delicados” como, por exemplo, a descoberta da orientação sexual.

É bastante normal que, a cada nova temporada, haja também a inserção de novos personagens. Um dos maiores destaques dos episódios recém-lançados foi a personagem Robin (Maya Hawke). Logo de cara, Robin conquistou os fãs por sua personalidade, em seguida por sua amizade com Steve Harrington (Joe Keery), e por fim, pela revelação de ser – a primeiríssima personagem – assumidamente homossexual do seriado.  

Para quem não se recorda, ainda que seja difícil, Robin trabalha com Steve na sorveteria Scoops Ahoy, localizada no Shopping Starcourt. Ela é responsável por ótimas cenas de alívio cômico, enquanto tira sarro das tentativas frustradas de Steve de conquistar as clientes do estabelecimento. Estas cenas, somadas às aventuras que a dupla tem infiltrados dentro da base militar Russa, leva o espectador a crer – erroneamente – que Robin tem um interesse amoroso no amigo. Dustin, que, também protagoniza ótimas cenas com a dupla, ao lado de Erica Sinclair (Priah Ferguson) – irmã mais nova de Lucas (Caleb McLaughlin), reforça que os dois formariam o casal perfeito.  

A revelação…

Ao se infiltrarem no esconderijo Russo, Steve, Robin, Dustin e Erica se metem em uma tremenda enrascada, assim o grupo acaba de separando e os dois mais velhos são capturados. Neste ponto, Steve e Robin se aproximam bastante e chegam a encarar uma pseudo sessão de tortura, com direito a injeção de “soro da verdade”. A garota acaba por confessar que foi obcecada por ele no ensino médio, uma vez que as garotas gostavam demais dele.

Posteriormente, ao conseguirem escapar, Steve se declara à Robin, e admite ter superado sua paixão por Nancy Wheeler. Robin, surpreende-se e revela que admirava Steve não por gostar dele, mas porque queria ser ele — ela gostava da garota que, por sua vez, gostava de Steve.

Obviamente, a cena supracitada tem um tom de tensão que, por sinal, a série desenvolveu extremamente bem. Steve lida de forma suave com o que ouve e acaba zoando a voz do interesse amoroso da amiga (Tammy Thompson), ao mesmo tempo em que deixa claro que Robin merece alguém melhor. Isso não só traduz o quanto ele se importa com a amizade criada, como evidencia o amadurecimento de Steve.

Não para por ai!

Ao que tudo indica, a nova personagem de Stranger Things não foi a única a ter sua orientação sexual questionada na série. De acordo com uma ponta solta na série, marcada por um diálogo, Will Byers pode ser gay.

Em uma cena específica da terceira temporada, Mike (Finn Wolfhard) e Will (Noah Schnapp) tem uma discussão, após o filho de Joyce (Winona Ryder) jogar na cara do amigo que ninguém mais tem tempo para ele, só ligam para suas novas namoradas.

Não é minha culpa que você não gosta de garotas!”, diz Mike no ponto alto da briga. Mike se desculpa imediatamente, enquanto Will mostra-se extremamente magoado. A sequência foi interpretada por boa parte dos fãs como uma referência à possível homossexualidade de Will.

Em recente entrevista cedida ao The Wrap, Noah Schnapp explicou que a questão estaria realmente aberta a interpretações.

Enquanto todos os personagens estavam se desenvolvendo e crescendo, Will estava no Mundo Invertido, sozinho, sem interagir ou se conectar com seus amigos e com o resto do mundo. Quando ele volta, ele espera que tudo volte a ser como era antes, quando ele era uma criança normal. Ele só queria voltar ao porão para jogar D&D. Quando você ouve Mike dizer aquela frase, fica realmente aberto à interpretação do público. Eu apenas interpretei como se ele não estivesse pronto para crescer e não quisesse seguir em frente ainda para ter relacionamentos. Ele ainda quer ser uma criança e brincar no porão, como nos velhos tempos“, declarou Schnapp.

Afinal, será que Will Byers é homossexual ou apenas não está pronto para abandonar a infância?