Aaron Paul, que interpretou Jesse em Breaking Bad, entrevistou Millie Bobby Brown para o site Elle.com

Confira abaixo a entrevista traduzida:

Data e horário da ligação: sexta-feira, 12 Agosto, 12 pm PST/9 pm CEST

Duração: 27 minutos

Aaron Paul: Olá Millie! Como você está?
Millie Bobby Brown: Estou bem. E você?

A: Eu estou muito bem. Muito obrigado por estar acordada falando comigo!
M: Sem problemas! Muito obrigada.

A: Primeiro de tudo, eu amo você. Eu tenho que começar falando disso porque eu sou um grande fã seu. Quero dizer, de um ator falando para o outro, eu tenho um imenso respeito por você. Eu realmente admiro muito seu trabalho.

M: Eu estou literalmente chorando.

A: Isso é realmente incrível. Você sempre soube que gostaria de atuar?

M: [Risadas] Não. Eu nunca soube, tipo, exatamente o que eu queria fazer. Você sabe, eu tenho 12 anos.

A: Eu estou tão feliz que você encontrou essa paixão dentro de você. Eu e um grupo de amigos temos um chat em que só conversamos sobre Stranger Things e quão legal a Eleven é. Isso acontece bastante? As pessoas estão te parando na rua?

M: Um pouquinho, sim. Meu cabelo tem crescido. E eu estou usando óculos agora. Então, eu estou parecendo o oposto da Eleven. Mas de vez em quando as pessoas me reconhecem no avião, ou em aeroportos vindo para cá. E sempre é muito legal ver a perspectiva dos fãs. É realmente surpreendente.

A: Como você se sente ter interpretado, que eu acredito que é, um dos melhores personagens da televisão?

M: É realmente incrível escutar isso de outro ator. Sabe, foi uma coisa meio…  — que é muito intenso no melhor sentido, eu acho. Eu obviamente sou muito grata por tudo isso. Eu tinha uma ideia — sabe, eu [os co-criadores] os irmãos Duffer e o elenco todo sabíamos o que queríamos alcançar com esse programa.

A: Como foi o processo de teste para o casting?

M: Eu estava na Inglaterra nesse tempo. E uma fita de teste veio; eles nos deram alguns trechos dos The Goonies, Close Encounters, Poltergeist, esse tipo de coisa. Era tipo um trailer do que precisávamos basear os nossos personagens. E o meu personagem foi baseado no E.T. Eu pensei: “Isso é muito legal”. Eu me apaixonei imediatamente pela experiência toda: cortar o meu cabelo, o roteiro, o meu personagem. Foi tudo fenomenal.

A: Eu cresci assistindo os filmes E.T., Stand By Me, Firestarter, e The Goonies. A série toda parece uma homenagem à esses filmes. Isso foi intencional?

M: Sim, mas nós também queríamos ter certeza que não estávamos copiando Stephen King e o Steven Spielberg. [Risos] Nós só queríamos respeitar eles enquanto fazíamos um projeto individual. Mas, com certeza, eles inspiraram a gente.

A: O que eu amo sobre essa série é a ambientação nos anos 80, um tempo em que as crianças reinavam nos bairros em suas bicicletas BMX. Sem celulares em mãos, as crianças estavam sempre atentas. Você é viciada em tecnologia?

M: Eu sou completamente o oposto [da maioria das crianças da minha idade]. Eu poderia viver sem o meu celular. É uma coisa que eu amaria é ter a liberdade que as crianças tinham nos anos 80. Até quando estávamos gravando não estávamos mexendo no celular. Estávamos meio que inspirados! Eu amo a praia, escalar montanhas, boxe e natureza, então eu gosto de ficar mais tempo possível longe do meu celular.

A: Isso é muito legal! Eu preciso te dizer: Eu e a minha esposa estamos constantemente falando sobre você. Estamos falando constantemente: “Os pais dela devem estar muito orgulhosos!” Pra ser sincero, nós queríamos que você fosse nossa filha.

M: [Rindo] Eu queria que vocês fossem os meus pais!

A: Mas, sério, nós só poderíamos esperar que o nosso filho fosse pelo menos metade do que você é. Os seus pais estão muito orgulhosos?

M: Eu tenho três irmãos, então é muito igual, é dividido — até quando eu começo a me achar, o que acontece muito. Meu irmão me aplica uma headlock. Ele diz que eu não sou uma celebridade nessa casa. Eu acho que sou bem centrada.

A: É claro que você é. Adorei isso. Eu encontrei um monte dos seus vídeos incríveis cantando no YouTube. Você tem uma voz linda! Quando foi que você começou a cantar?

M: Eu comecei a cantar antes de falar. Sério. Eu acho que é uma coisa que eu sempre amei fazer, mesmo não sendo boa. Eu amava baladas. E na verdade, eu não consigo escutar bem em um ouvido. Eu sempre pensei que talvez eu não conseguiria cantar por causa dos meus ouvidos. Mas daí eu pensei: por quê não postar e compartilhar isso com o mundo?

A: Você já cantou no set? Você já escutou o Gaten Matarazzo (que interpreta Dustin Henderson no programa) cantar?

M: Nossa! Você é a primeira pessoa a pronunciar o nome dele certo! (Gaten = Gay-tuhn)

A: Ele não tem uma voz incrível?

M: Sim, ele tem uma voz fenomenal! Sabe, ele esteve na Broadway por um ano, eu acho. Eu pensei: “Nossa, eu sou de Londres; Eu nunca tive aula de canto na minha vida”. E ele ia na nossa casa em Atlanta e nós adorávamos praticar e harmonizar juntos. Foi muito legal encontrar alguém nessa área que adora cantar. É uma conexão especial que nós temos, eu e o Gaten. O Caleb (McLaughlin, que interpreta o Lucas) também gosta de cantar.

A: É mesmo? Sabe, eu adoro cantar, mas a minha voz é péssima.

M: [Risos] Eu mal consigo imaginar Jesse de Breaking Bad cantando.

A: É, eles tentaram fazer com que eu cantasse naquela banda dele. E eu cantei. Daí eles resolveram que não seria uma boa ideia o Jesse cantar…

M: Eu acho que a Eleven poderia começar a cantar em qualquer momento!

A: Voltando à Stranger Things: Quando foi que disseram que queriam que você rapasse a sua cabeça?

M: Na verdade, eles foram muito espertos. Eu consegui um call back e daí eu fiz uma reunião via Skype e eles não comentaram nada sobre isso. Daí nós fomos pra L.A. e eles perguntaram: “Você está pronta?” E eu perguntei: “Pronta pra quê?” E eu estava do lado de Finn (Wolfhard, que interpreta Mike Wheeler), e o Ross Duffer vem perto de mim e coloca a sua mão e faz esse barulho: “Bzzzzzzzzz”. E minha mãe diz que não, que não vai acontecer. E eu falei: “Mãe, você precisa se acalmar; vai crescer tudo de volta”. Minha mãe foi contra. Enquanto eu e meu pai falávamos: “Ah, vai ficar tudo bem!” Hoje, até, nós fomos a um restaurante indiano e uma pessoa me cumprimentou falando, “Olá, mocinho.” Foi a 500 vez que alguém me chama de menino e eu nem ligo.

A: A Eleven consegue mover as coisas com a mente, você já tentou fazer isso?

M: Ah sim, sempre!

A: Eu também!

M: Eu sempre quis ser que nem a Matilda. Mas não funciona, obviamente. Mas eu adoraria poderia arremessar uma van. Eu tinha uma piada interna com o (diretor) Shawn Levy, que falaria: “Então, Millie, você pode mover coisas com a sua meeeeeente.” Ele falava isso todo dia. Mas eu faço aula de boxe. Então eu não torturo pessoas psicologicamente, eu torturo pessoas fisicamente.

A: Isso é muito engraçado. Você guardou ou roubou alguma coisa do set?

M: Não, eu não roubei nada. Eu roubei ideias. Isso conta? Eu roubei a ideia de um toca-discos e eu ganhei um de natal. [Risos] Eles também nos deram uma pintura quando terminamos. Minha última noite gravando foi a cena com o Finn. E como você pode imaginar, foi muito constrangedor. Nós saímos do set e eles falaram: “Temos um presente pra você!” E era uma pintura da gente de quando vimos o corpo de Will. É incrível.

A: Essa foi a última cena que vocês gravaram?

M: Sim. Eles queriam guardar pro final e eu fiquei tipo: “Por queeee vocês estão me atormentando assim?”

A: Nossa. Deve ter sido muito ruim pra vocês dois!

M: Na verdade, eu fiquei bem tranquila. [Risos] Foi o meu pai que ficou tipo: “Nããããããão!”

A: Eu amo o seu relacionamento com o Mike na série. Foi muito lindo assistir. Ok, eu tenho mais algumas perguntinhas rápidas. Numa escala de um a 10, quanto você gosta de Eggo waffles?

M: [Pausa longa] Uhhhh. Quer saber? Vou ter que dizer, zero. Elas são nojentas.

A: Eu concordo com você!

M: Eu gostava delas no começo. Eu fiquei tipo: “Ah, não são tão ruins.” Foi o tanto de vezes que tive que comer elas; sete ou oito. No começo nós comemos as de mirtilos e eu fiquei tipo: “Ah, eu gostei!” E depois: “Okay. Agora eu preciso de um balde. Eu vou vomitar.”

A: Você já ouviu falar alguma coisa sobre a segunda temporada? Por favor, me conta tudo.

M: Eu vou te contar tudo… eu não ouvi falar nada. [Risos] Você sabe como a Netflix é. Nós não tivemos nenhuma confirmação oficial, por enquanto. Os irmãos Duffer tem a mente bem aberta. Eles são gênios. Eu adoraria uma segunda temporada. Eu acho que todos nós adoraríamos. Olha, se eu ficar sabendo, você vai ser a primeira pessoa pra quem eu vou contar.

A: Você poderia me encontrar nas redes sociais e me avisar?

M: Então, eu tenho uma ideia: Você tem um Twitter, né?

A: Sim.

M: Okay, então eu tenho Twitter. Quando os irmãos Duffer me avisar, eu vou te mandar um DM. E eu estarei em L.A. em duas semanas e nós podemos sair pra jantar.

A: Não brinca com os meus sentimentos, Millie! Eu acabei de te seguir no Twitter.

M: Eu estou falando sério, Aaron. Muito sério.

A: Por favor me siga de volta, faça com que a minha vida fique completa!

M: Sim, claro! Nós podemos ir a um In-N-Out (fast food) .

A: Você é a melhor! Agora, só mais uma coisa e eu vou te deixar ir. Você já interpretou uma personagem magnífica. Tem alguma outra personagem que você gostaria de interpretar?

M: Sabe, na minha cabeça, a Eleven foi o meu personagem dos sonhos em um sci-fi/thriller. Meu personagem dos sonhos é estrelar o meu primeiro filme. O que eu mais quero é estrelar um filme e daí minha vida vai estar completa. Eu já perdi um monte de teste de casting pra bastante personagens — The BFG, e mais um monte.

A: Ugh. Você é um doce. Antes de você ir… minha esposa está me encarando. Acho que ela está me amando mais agora por eu estar conversando com você no telefone. Ela pode dizer oi pra você?

M: Sim. Como é o nome dela?

A: O nome dela é Lauren.

M: Claro.

Lauren Paul: Miiiiiiiiilie! Você é incrível!

M: Lauuuuureeeen!

L: Garota! Você é a melhor! Você foi a minha Woman Crush Wednesday (‪#‎WCW) no Instagram ontem.

M: Nossa! Muito obrigada! A Eleven tem muita sorte.

L: Você é maravilhosa. Eu estou muito animada por acompanhar você em sua jornada.

M: Escuta: Eu e o Aaron marcamos pra jantar em L.A. em duas semanas. Você leva os documentos pra adoção. Eu vou levar a minha mala.

L: Vamos fazer isso! Não brinca comigo!

A: Você é a melhor! Mande ‘amor’ pra sua família inteira. Eles fizeram um ótimo trabalho criando você! Então, bravo!

M: Muito obrigada! Eles estão todos aqui agora, tipo: “Ahhhhhh!” [Risos]

A: Eu amo todos vocês. Parabéns!
[Gritos e aplausos no fundo] Te vejo em L.A. Aproveite bastante a Espanha!